Rinite, flores e fumo

.

Então é primavera. Não no Rio de Tim Maia, mas em Washington. As cerejeiras floridas fazem da paisagem da cidade cartão postal, mas meu nariz péssimo. Não só o meu. É época de alergias de primavera, deflagrada por pólens espalhados pelo ar.                                                                    

Nunca pensei que isso exisitia. Quando morava em Minas, não tinha problemas respiratórios, independente da estação do ano. Mudei-me para São Paulo. Recordo-me que nos dias de inversão térmica, durante os invernos, meu nariz não ficava nada feliz com a mudança.

Recentemente fui a São Paulo e sai com alguns amigos. Balada. Acordei no meio da noite sem conseguir respirar bem. Uma rinite súbita tinha uma origem: cigarro. Há algum tempo não me lembrava o quão desagradável era acordar com o fedor de algo que não consumiu – cigarro – e pagar uma desnecessária conta na farmácia com descongestionantes nasais.

Ontem, a Assembléia Legislativa paulista, que anda poluída de más notícias como o ar da capital estadual, aprovou um projeto importante para a população: proibir o uso de cigarro em lugares coletivos fechados.

Não falo isso devido à minha rinite, mas à saúde coletiva de muitos paulistas que pagam, em silêncio, um preço imposto pela ação anti-coletiva alheia. Pagam também tributos que financiam pacientes, nos hospitais públicos, com problemas pulmonares causados pelo fumo. É, no mínimo, injusto.

Na matéria que li havia a foto com um cartaz indagando quem iria prender os fumantes que desrespeitassem a lei. É uma pergunta importante, pois trata-se de como a lei será aplicada. Entretanto, eu responderia à senhora que carregava o cartaz: você. A sociedade tem o poder de se aperfeiçoar e promover decisões coletivas que favoreçam o público. Um lei só “pega”, quando há mudanças de conduta por parte da sociedade.

Tenho certeza que os paulistas estão prontos para isso. Espero que outros estados sigam o mesmo caminho aberto pela proposta encaminhada à Assembléia pelo Governador José Serra.

Para os deputados defensores de benefícios inexplicáveis a si concedidos, recomendo mais rinite causada por pólen de flores do que a derivada da hipocrisia humana. Estão bem perto do Parque do Ibirapuera, portanto, façam bom uso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s